logo primecont

O enquadramento fiscal pode reduzir os custos de uma empresa?

O enquadramento fiscal pode reduzir os custos de uma empresa?

As empresas sempre buscam, independentemente da época, a redução de seus custos operacionais, seja por meio da melhoria dos procedimentos operacionais e administrativos ou do planejamento tributário, que é a forma legal para pagamento de menos tributos.

Para tanto, é preciso conhecer bem o enquadramento fiscal da empresa, para que se possa reduzir os tributos em consonância com as suas atividades e os regimes de tributação aos quais a organização é mais adequada.

Confira, no post de hoje, como o correto enquadramento fiscal pode reduzir os custos de uma empresa. Acompanhe!

Enquadramento fiscal: os regimes de tributação

É recomendável que você faça uma simulação de cenários distintos que sua empresa poderia ter passado se tivesse uma configuração tributável diferente. No Brasil, há três regimes de tributação que podem ser utilizados pelas empresas: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional.

1. Lucro Real

O Lucro Real considera o lucro obtido nas operações, sendo caracterizado pela diferença entre as receitas e os custos do negócio.

Dessa forma, quando a empresa possui uma margem de lucro muito elevada, esse regime pode não ser a melhor alternativa a ser utilizada. Como a tributação é realizada com base no lucro, quanto maior a margem, maior será a base tributável.

2. Lucro Presumido

O Lucro Presumido não enfatiza tanto o controle das despesas para efeitos fiscais, pois define a presunção de lucro para cada atividade operacional.

Essa presunção pode chegar a 32%, dependendo da atividade desempenhada por sua empresa. A comparação direta realizada com o Lucro Real é capaz de indicar, entre os dois, qual é o melhor enquadramento fiscal para reduzir os custos de uma empresa com tributação.

Assim, para descobrir qual é o melhor regime de tributação para a sua companhia, faça uma simulação de períodos futuros com base nos períodos passados.

3. Simples Nacional

Buscando reduzir os custos de uma empresa, algumas organizações encontram como alternativa no planejamento tributário o enquadramento fiscal no Simples Nacional.

Com ele, as obrigações são reduzidas, mas o nível de faturamento para esse enquadramento também cai. De qualquer maneira, se você pensa em reduzir sua carga tributária, o Simples Nacional deve ser analisado. Verifique, contudo, se sua empresa pode aderir a este regime de tributação.

A principal meta do Simples é a de impulsionar os negócios de menor estrutura, fazendo com que eles paguem menos enquanto ainda faturam pouco, deixando, assim, mais recursos disponíveis para investimentos em outras áreas.

Trata-se da união de vários impostos diferentes em uma única via de arrecadação, o que agiliza os processos burocráticos por parte das empresas, ganhando tempo e gerando menos necessidade de pessoal administrativo.

Precauções com o Simples Nacional

Como vimos, não são todas as modalidades de empresas que podem aderir ao Simples Nacional. Existem restrições que dizem respeito não somente em relação ao tamanho, mas também ao tipo de atividade.

Recentemente, o governo aumentou as alíquotas dos impostos para as empresas enquadradas no Simples Nacional, mas permitiu que várias atividades, antes proibidas, possam ter esta alternativa como regime de tributação.

Mesmo assim, o fato é que você deve fazer a comparação entre as três modalidades: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional, cuidando para identificar os planos de médio prazo que a empresa possua.

Se a intenção for um crescimento mais acelerado e o Simples Nacional for apontado como melhor opção no início, deve-se analisar novamente a situação a partir do quinto ou sexto ano de atividade da empresa. Essa situação é muito comum em empresas que deixaram de ser novatas no mercado e estão em crescimento, por exemplo, mas não podem mais se enquadrar no Simples Nacional por causa do nível de faturamento.

Para essas empresas, restam o Lucro Real e o Lucro Presumido, e a simulação deve ser feita ainda durante os primeiros passos da empresa para que mudanças em seu enquadramento fiscal sejam sempre bem planejadas.

De qualquer forma, é possível afirmar que uma das formas mais efetivas de reduzir os custos de uma empresa é a comparação entre os diversos regimes tributários e o correto enquadramento fiscal. Esse hábito traz economia no longo prazo, além de dar suporte aos investimentos, uma vez que você pode utilizar os recursos para investir em sua empresa.

E então, entendeu de que forma o enquadramento fiscal pode reduzir os custos de uma empresa? Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários e até a próxima. 

Veja Também:

Tem dúvidas sobre contabilidade?

logo primecont

633028-3477

205 Sul, Av. LO 05, Lote 30-A, Palmas - Tocantins